sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Importância da educação alimentar para crianças

Você sabia que a Organização Mundial da Saúde (OMS) aponta a obesidade como um dos maiores problemas de saúde pública no mundo?

Atualmente, no Brasil, 15% da população infantil está acima do peso, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), sendo que a região que mais possui crianças com sobrepeso é a Sudeste, com 38,8% de crianças na faixa etária de 5-9 anos e 22,8% na faixa etária dos 10-9, seguida da região Sul, com 35,9% e 24,6%, respectivamente.

A obesidade infantil ocorre quando a criança está acima do peso normal para sua altura e idade. As consequências são físicas e psicológicas, como diabetes, hipertensão, colesterol alto, baixa autoestima e até depressão. Vários fatores podem levar a ocorrência da doença, fatores genéticos, sedentarismo e má alimentação estão entre eles.

É fato que, hoje em dia, devido ao tempo corrido, cada vez mais as crianças vêm se alimentando de forma incorreta, em seus cardápios estão, em geral, muitas frituras, poucas verduras e saladas, doces em excessos, refrigerante em grandes quantidades, e não podem faltar os fast foods. Tudo isso combinado com a falta de exercícios e hábitos alimentares errados, como comer na frente da televisão, não mastigar vezes suficientes, engolir a comida sem prestar atenção, substituir as refeições por lanches ou doces, entre outras coisas mais, levam ao sobrepeso infantil.  

Diante dos fatos, os pais se colocam em uma emboscada: como lidar com a educação alimentar de seus filhos? O grande desafio dos pais é deixar os alimentos não desejáveis, atraentes.  Uma boa dica é: levar as crianças à cozinha na hora de cozinhar, fazendo com que eles participem da criação do prato. Mexer com a imaginação deles é uma boa forma de incentivo também, deixando o prato mais colorido e lúdico. Podemos evitar o drama incluindo alimentos saudáveis nos alimentos que eles já comem diariamente, como arroz com legumes ou feijão com espinafre/beterraba, ou ainda, cozinhar o arroz com a água que cozinhou os legumes. No lugar dos refrigerantes, sucos de frutas naturais são ótimas saídas, se forem feitos na hora, geladinhos e com a combinação de diversas frutas, serão deliciosos e atrativos na alimentação infantil.


Para a combinação perfeita é válido colocar as crianças para sentar a mesa na hora das refeições, sem distração de televisão, DVD, celular ou tablet. Se a refeição for feita em família, é melhor ainda, uma vez que as crianças se inspiram nos pais, inclusive na alimentação. Quanto aos exercícios físicos, matricular os filhos em algum esporte é uma boa pedida também, além de manter a criança ocupada e em contato com outras crianças, elas queimam o excesso de calorias.